QUARTA-FEIRA, 16 DE JANEIRO DE 2019
Untitled Document
07/01/2019 | Fonte: G1

Globo de Ouro 2019: 'Bohemian Rhapsody' e 'Green Book: O guia' são os grandes ganhadores

Jim Beach, Roger Taylor, Brian May, Rami Malek e Graham King posam com o prêmio de melhor ator em filme dramático por 'Bohemian Rhapsody' no Globo de Ouro 2019 — Foto: Mario Anzuoni/Reuters

O Globo de Ouro 2019 neste domingo (6) dividiu bem suas estatuetas, com três grandes vencedores nas categorias de cinema:

 

  • "Green Book: O guia" levou três prêmios, melhor comédia ou musical, roteiro e ator coadjuvante para Mahershala Ali
  • "Bohemian Rhapsody", sobre o Queen, ganhou dois: melhor filme (drama) e ator para Rami Malek, no papel de Freddie Mercury
  • "Roma" levou com Alfonso Cuarón (diretor) e Filme Estrangeiro
  • Na TV, "O método Kominsky" e "The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story" ganharam dois cada

 

Com apresentação de Sandra Oh, melhor atriz de série dramática por "Killing Eve", e Andy Samberg ("Brooklyn Nine-nine"), a cerimônia foi no Hotel Beverly Hilton, em Los Angeles.

Promovida pela Associação da Imprensa Estrangeira de Hollywood (HFPA, na sigla original), a disputa dá largada na temporada de prêmios.

A noite foi marcada por um grande equilíbrio tanto no cinema quanto na TV. Nenhuma produção ganhou mais de três prêmios.

O ganhador em estatuetas foi "Green Book: O guia". Ao contar a história de pianista de jazz negro fazendo turnê pelo Sul dos Estados Unidos nos anos 1960 acompanhado de um guarda-costas branco, o filme conquistou as categorias de melhor comédia ou musical, melhor roteiro e melhor ator coadjuvante (Mahershala Ali).

Já nas categorias dramáticas o vencedor foi "Bohemian Rhapsody". O filme sobre Freddie Mercury e o Queen foi o escolhido como melhor filme dramático e com o melhor ator de drama. Em seu discurso, Rami Malek dedicou o prêmio ao cantor: "Freddie, isso é para você".

Mas as coisas poderiam ser diferentes. "Roma" ganhou outras duas estatuetas como melhor filme de língua estrangeira e melhor diretor para o mexicano Alfonso Cuarón.

A história de um empregada doméstica nos anos 1970 na Cidade do México ficou de fora das categorias principais, já que uma regra da premiação não permite a presença de filmes gravados em outros idiomas.

Christian Bale foi o melhor ator em comédia ou musical por "Vice", com um discurso bem-humorado sobre como foi inspirado por Satanás para interpretar o antigo vice-presidente dos EUA Dick Cheney. A melhor atriz de comédia ou musical foi Olivia Colman, por "A favorita".

Uma das surpresas da noite foi o prêmio de melhor atriz dramática para Glenn Close, por "A esposa". A atriz veterana deu um discurso emocionado, que levou parte dos convidados às lagrimas, após ganhar de Lady Gaga ("Nasce uma estrela") e Melissa McCarthy ("Poderia Me Perdoar?").

Outra que emocionou os colegas foi Regina King. Ao ganhar como atriz coadjuvante por "Se a rua Beale falasse", ela foi ovacionada ao prometer que todas as suas produções dali em diante teriam equipes compostas 50% por mulheres.

Com cinco indicações, "Nasce uma estrela" só não passou em branco ao levar o prêmio de melhor canção original, com "Shallow", interpretada por Lady Gaga e Bradley Cooper. A cantora subiu ao palco com Mark Ronson, um dos autores da música, para agradecer o prêmio.

Entre as animações, a Sony conseguiu quebrar a hegemônia da Disney e da Pixar graças a "Homem-Aranha no Aranhaverso".

O grande homenageado da noite com o prêmio Cecil B. Demille de conjunto da carreira foi Jeff Bridges. O ator já tinha ganhado um prêmio em 2010 por sua atuação em "Coração Louco", e foi indicado outras quatro vezes.

Nas categorias de TV, a disputa foi ainda mais acirrada. "O método Kominsky" e "The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story" foram os mais premiados, com dois cada.

"Kominsky" foi o grande vencedor entre as comédias, escolhido como melhor série de comédia ou musical e como melhor ator de comédia (Michael Douglas). Rachel Brosnahan, de "The Marvelous Mrs. Maisel", foi a melhor atriz.

Já "Versace" foi o destaque entre as séries limitadas ou filmes para a TV, ganhador na categoria principal e com o melhor ator dessa categoria (Darren Criss). Patricia Arquette, de "Escape at Dannemora", foi a melhor atriz.

Entre os dramas, não houve um favorito. A última temporada de "The Americans" foi a vencedora como série, Richard Madden ("The Bodyguard") foi o melhor ator e Sandra Oh foi a melhor atriz.

A TV também contou com uma grande novidade em 2019. A edição da premiação estreou o prêmio Carol Burnett de conjunto da carreira televisiva para a própria Burnett. A atriz de 85 anos já foi indicada a 18 Globos de Ouro, e levou cinco deles para casa.

COMENTE ESTA NOTÍCIA:
» NOTÍCIAS RELACIONADAS
Postada em: 11/01/2019 Al Pacino vai estrelar série 'The Hunt', produzida pela Amazon
Postada em: 11/01/2019 Justin Bieber completa 10 anos de carreira
Postada em: 11/01/2019 'Scarface': a rotina de orgias, festas e cocaína dos traficantes que inspiraram filme
Postada em: 07/01/2019 'Game of Trones' divulga primeiras imagens de última temporada
Untitled Document
Desenvolvimento: Luciano Dutra