SEXTA-FEIRA, 22 DE MARÇO DE 2019
Untitled Document
05/01/2019 | Fonte: G1

Jovem que estrangulou transexual em MS tinha relacionamento de pelo menos 6 meses com vítima, diz polícia

A transexual de 29 anos, foi estrangulada. Assassino confessou a morte de Márcio em Camapuã (MS). — Foto: Facebook/Reprodução

O jovem de 19 anos que confessou ter matado por estrangulamento a transexual Márcio Rodrigues de 29 anos, no dia 20 de dezembro, tinha um relacionamento com a vítima há pelo menos 6 meses, segundo a polícia. Ele mudou sua versão (de que matou porque teria sido "tocado"), e disse que havia mantido relação sexual com Márcio antes do assassinato em Camapuã, a 140 km de Campo Grande. O inquérito foi concluído pela Polícia Civil no último dia 31.

De acordo com a polícia, os dois começaram a beber na noite anterior ao crime em um bar da cidade, quando, em determinado momento, o autor teria "mexido" com uma jovem que estava em outra mesa. A transexual, que estava em outro ponto do estabelecimento, não teria gostado da postura do suspeito.

De acordo com a investigação, ao irem para casa, eles mantiveram relação sexual. Ao terminar o ato, Marcio teria indagado a postura do suspeito com a moça que estava no bar. Ele não teria gostado do questionamento e deu um golpe em Márcio, conhecido como mata-leão. Diferente do primeiro depoimento, o autor disse que depois teria caído de forma acidental em cima do pescoço da vítima, que já estava desacorda, afundando sua traqueia.

Segundo a polícia, o laudo do médico legista que aponta a morte da transexual ainda não chegou à delegacia de Camapuã, mas, na certidão de óbito, a morte foi registrada por meio de asfixia. O óbito teria ocorrido no momento em que Márcio teve o pescoço quebrado pelo joelho do suspeito.

Ele se apresentou no dia 20 de dezembro, e como não foi pego em flagrante e também por não ter antecendentes criminais, foi liberado. Porém, por conta da gravidade do crime, o delegado representou ao juiz criminal da comarca da cidade pela decretação da prisão preventiva do suspeito. Ele foi preso no último dia 22.

O caso

De acordo com a polícia, o corpo de Marcio foi encontrado em milharal e o suspeito disse que o crime aconteceu depois deles terem saído de um bar. Os dois subiram na bicicleta e, próximo a um terreno baldio, o autor contou no primeiro depoimento que Márcio teria pedido para que ele parasse, momento em que teria "tocado" o autor e disse que queria manter relação sexual.

Segundo a polícia, o jovem contou que nesse momento golpeou a vítima, que caiu se debatendo. Quando viu que tinha quebrado o pescoço de Márcio, ele ainda bateu com o joelho em cima do pescoço dele e pressionou por cerca de 3 minutos até constatar a morte.

Ainda segundo o depoimento do rapaz, o jovem arrastou o corpo da travesti para um milharal e ao retornar para pegar a bicicleta, ele pegou o celular da vítima e uma quantia de R$ 132.

O suspeito não tinha passagens e após o depoimento foi liberado, por que não houve flagrante. Ele vai responder pelo crime de homicídio qualificado, motivo fútil e asfixia.

COMENTE ESTA NOTÍCIA:
» NOTÍCIAS RELACIONADAS
Postada em: 21/03/2019 PM de Japorã cumpre dois mandados de prisão
Postada em: 21/03/2019 Com receitas de bombas, adolescentes ameaçam explodir escola na Capital e são apreendidos
Postada em: 21/03/2019 Alvo de operação, Policial Civil é afastado de suas funções pelo Governo
Postada em: 20/03/2019 Casal vai a júri popular por morte de menino asfixiado pela madrasta
Untitled Document
Desenvolvimento: Luciano Dutra