QUARTA-FEIRA, 16 DE JANEIRO DE 2019
Untitled Document
20/12/2018 | Fonte: G1

Estiagem provoca perdas de soja nos estados do Mato Grosso do Sul

Lavouras de soja sofrem com a falta de chuva na região sul de MS (Foto: Helio de Freitas)

A safra de Mato Grosso do Sul, um dos estados que figuram entre os cinco maiores produtores da oleaginosa do Brasil, tem registrado perdas em algumas regiões que estão há vários dias sem chuvas, o que deve impactar a produção total do Brasil, de acordo com especialistas.

Enquanto isso, as primeiras colheitas em Mato Grosso, o estado com maior produção, já estão ocorrendo. Apesar de terem problemas com falta de chuva, apenas a região sul tiveram problemas, não atrapalhando a produção como tem ocorrido no estado vizinho.

Meteorologistas acreditam que o intenso calor e chuvas em volumes além do ideal até o Natal deverão agravar a situação no Mato Grosso do Sul, antes de mais precipitações esperadas até o final do mês, que poderiam limitar um prejuízo maior.

"É difícil ainda saber o tamanho das perdas, está muito quente. A estiagem está tendo efeito nessas lavouras precoces (plantadas primeiro), essas lavouras estavam em enchimento de vagens e foram atingidas...", disse o analista da AgRural Fernando Muraro, ponderando que, neste momento, é "impossível quantificar" a quebra.

O sul do estado já está há 13 dias sem chuvas. A última chuva ocorreu no dia 29 de novembro quando foi registrado na Estação Agrometeorológica da Embrapa Agropecuária Oeste, por meio do Guia Clima, 12.8 mm. Esses dias sem chuvas, associados a temperaturas elevadas e forte radiação solar, estão prejudicando as lavouras de soja da região.

Dados do Guia Clima revelam que as lavouras de soja de ciclo precoce, que foram semeadas no início de outubro, estão, em média, com déficit hídrico de 47 mm.

Mato Grosso do Sul, o quinto produtor de soja do país, poderá sofrer perdas de até 20%, se as chuvas não voltarem em bons volumes, " Se a chuva voltar, (a perda) pode ser bem menor...", destacou o analista da Safras & Mercado Luiz Fernando Roque.

De acordo com dados meteorológicos do Agriculture Weather Dashboard, do Refinitiv Eikon, as chuvas serão praticamente diárias no Mato Grosso do Sul até o final do ano, mas os maiores volumes só virão a partir do final desta semana (22 e 23).

O agrometeorologista da Rural Clima, Marco Antonio dos Santos, observou que: "Essa forte estiagem, associada a altíssimas temperaturas, tem ocasionado reduções significativas nos potenciais produtivos de diversas lavouras de soja", afirmou ele, avaliando que, de forma geral, Paraná e Mato Grosso do Sul terão perdas de mais de 10% em relação ao potencial.

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estimou em boletim na semana passada, ainda sem considerar os efeitos da seca, Mato Grosso do Sul poderia ter uma colheita de pouco mais de 9 milhões de toneladas, revelando uma queda anual de 4% na produção.

De forma conservadora, a safra brasileira 2018/19 foi estimada pela Conab em 120 milhões de toneladas, um novo recorde, mas com ligeiro crescimento de 0,7% ante a temporada passada, apesar de um aumento de quase 2% no plantio. (Com informações G1).

COMENTE ESTA NOTÍCIA:
» NOTÍCIAS RELACIONADAS
Postada em: 11/01/2019 IFMS divulga local de prova e ensalamento de concurso público
Postada em: 11/01/2019 Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 12 milhões neste sábado
Postada em: 08/01/2019 Decreto para flexibilizar posse de armas sai na próxima semana
Postada em: 07/01/2019 Dólar recua e chega a operar abaixo de R$ 3,70
Untitled Document
Desenvolvimento: Luciano Dutra