SEGUNDA FEIRA, 10 DE DEZEMBRO DE 2018
Untitled Document
03/09/2018 | Fonte: CAMPO GRANDE NEWS

Ex-diretora da Fetems é encontrada morta em casa com crucifixo

Maria Ildonei Lima foi morta aos 70 anos (Foto: Arquivo Pessoal)

Um crucifixo foi usado para matar a professora e ex-diretora da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) Maria Ildonei Lima, de 70 anos - encontrada na casa em que morava no Jardim Leblon, em Campo Grande, na noite deste sábado (1º).

Segundo a polícia, a vítima tinha duas perfurações no corpo, uma no pescoço e outra no tórax. Foi justamente a espessura de cada ferimento que apontou a arma usado no crime. De acordo com o delegado, o crucifixo tem de 20 a 25 centímetros e estava com a ponta quebrada.

Segundo o delegado Danilo Mansur, plantonista da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Piratininga, Ildonei foi encontrada morta no chão da cozinha, de bruços e com o crucifixo nas costas.

“Depois do crime, o autor trancou a casa e fugiu”, detalhou Mansur.

Conforme a perícia, o assassinato ocorreu de 12 a 24 horas antes do corpo ser encontrado. Ainda segundo o delegado, a casa não estava revirada como divulgado inicialmente, e os únicos objetos fora do lugar eram algumas peças de roupa, encontradas jogada no chão do quarto.

O delegado relatou ainda que nenhuma movimentação foi vista por vizinhos na casa da vítima. “A família também não tinha conhecimento se a vítima tinha qualquer tipo de desavença”. Apesar de não descartar latrocínio - roubo seguido de morte - a polícia constatou que nada de valor foi levado do local.

COMENTE ESTA NOTÍCIA:
» NOTÍCIAS RELACIONADAS
Postada em: 10/12/2018 Corpo de brasileira desaparecida na Austrália é encontrado em praia
Postada em: 10/12/2018 Mulher descobre traição e é agredida a pauladas pelo marido
Postada em: 10/12/2018 Rapaz é preso com diversas armas após tentar vender uma delas pela internet
Postada em: 10/12/2018 Pai nega levar filho para comprar mais bebida e é morto com soco na cabeça
Untitled Document
Desenvolvimento: Luciano Dutra