SEGUNDA FEIRA, 19 DE NOVEMBRO DE 2018
Untitled Document
30/08/2018 | Fonte: ASSESSORIA E COMUNICAÇÃO

Traumatismo Dentário na Primeira Infância

Dra. Ludmila C. M. Ronda Mise e Paciente. (Foto: Divulgação).

Uma a cada três crianças com “dentes de leite” podem bater a região da boca quando caem ou quando se chocam com algum objeto ou com outra criança.

As crianças que pertencem ao “grupo de risco” de traumatismo dentário são as que possuem de 01 a 03 anos de idade, pois nessa fase a criança começa a se levantar sozinha, a andar, a correr, a tentar ficar independente. Contudo, ainda não apresenta coordenação motora que lhe permita realizar movimentos precisos e seguros. Também lhe falta coordenação suficiente para que consiga se proteger no momento do acidente.

Na faixa entre 04 e 06 anos de idade, as crianças se encontram no período pré-escolar e os traumatismos dentários passam a ocorrer em consequência de quedas e colisões durante brincadeiras em grupo e práticas esportivas.

Porém, a maior ocorrência de traumatismos dentários na primeira infância é verificada em casa, principalmente na época das férias escolares, quando as crianças têm mais liberdade e tempo livre para brincar.

Impedir que a criança tenha sua liberdade de expressão e movimento, por meio de superproteção, é inviável do ponto de vista de seu desenvolvimento físico e psicológico.

Por outro lado, é possível minimizar os riscos de acidentes domiciliares ou em ambientes externos, estabelecendo áreas mais seguras para as brincadeiras infantis e dificultando o acesso àquelas mais perigosas tais como: cozinhas, escadas, áreas próximas a janelas e sacadas e piscinas.

Outras medidas também são importantes para evitar traumas na região da face e boca:

·                   Quando a criança estiver engatinhando, utilizar joelheiras e meias antiderrapantes, para evitar que ela escorregue em pisos lisos;

·                   Evitar o uso de andadores infantis, pois ele pode não suportar o peso da criança e tombar;

·                   Sempre utilizar o cinto de segurança atado nos carrinhos para transporte de bebês, no bebê conforto e nas cadeiras utilizadas para alimentar o bebê, pois a criança pode se projetar para frente e cair;

·                   Para o transporte em veículos, verificar se a cadeirinha ou bebê conforto está corretamente preso ao banco do carro, pois caso não esteja, em uma frenagem brusca ou colisão, o equipamento será projetado e poderá imprensar a criança contra os bancos da frente ou contra o assoalho do carro;

·                   Manter objetos perfurocortantes fora do alcance;

·                   Fixar móveis nas paredes para evitar o tombamento sobre as crianças durante uma tentativa de escalada;

·                   Jamais deixar uma criança sem supervisão de um adulto, principalmente se estiver acordada, pois o acidente acontece em uma fração de segundos.

Mas o que fazer se o seu filho, sua filha ou alguma criança perto de você machucar a região da boca ou os dentes??

Ø    Tente manter a calma, por mais difícil que seja;

Ø    Vá ao encontro da criança e tente acalmá-la, mantenha contato visual e fale com firmeza que ficará tudo bem;

Ø    Observe o ambiente e procure entender a dinâmica do acidente para relatar ao odontopediatra a forma como o trauma ocorreu, pois isso é muito importante.

Ø    Verifique se o ambiente é contaminado, como por exemplo, areia de parque.

Ø    Limpe o rosto e a boca da criança com água corrente para ter uma noção real do que aconteceu;

Ø    Se houver corte nos lábios, com sangramento intenso, pressione com gaze ou fralda limpa por 5 minutos;

Ø    Peça para a criança abrir a boca e tente perceber se está faltando algum dente ou se há algum dente quebrado;

Ø    Caso esteja faltando algum dente ou parte dele, tente encontra-lo no local do acidente;

Ø    Se o dente ausente for encontrado, nunca o segure pela raiz. Pegue-o com muito cuidado e coloque-o em um frasco limpo com soro fisiológico ou leite;

Ø    Conduza a criança para o seu odontopediatra, ou se a severidade do acidente implicar em trauma na face ou cabeça, procure o serviço de urgência médica.

                 A Clínica CLIRON conta atualmente com uma equipe de profissionais altamente qualificados para melhor atender seus pacientes. Temos a CLIRON Kids que é voltada para atender gestantes e crianças de 0 a 12 anos. Essa ala da Clinica CLIRON é coordenada pela Dra. Ludmila C. M. Ronda Mise, que é especialista em odontopediatria, pós graduada em odontobebê e  especialista  em periodontia.

 

Dr. Giuliano Guilherme de Lima - CRO/MS - 3583

- Cirurgião Dentista

- Especialista em Implantodontia

- Especialista  em Endodontia

- Especialista em Radiologia

- Pós graduado em Cirurgia

Tel: (67) 3461 3399

www.cliron.com.br

COMENTE ESTA NOTÍCIA:
» NOTÍCIAS RELACIONADAS
Postada em: 01/11/2018 Por que meus dentes permanentes estão ficando moles?
Postada em: 25/10/2018 Um terço dos implantes dentários do país é produto de pirataria
Postada em: 13/09/2018 O uso do Microscópio na Odontologia
Postada em: 06/09/2018 Dias 15 e 22 campanhas vacinação antirrábica na zona rural de Naviraí
Untitled Document
Desenvolvimento: Luciano Dutra