TERÇA-FEIRA, 23 DE OUTUBRO DE 2018
Untitled Document
24/08/2018 | Fonte: DOURADOS NEWS

Polícia indicia pai de criança morta por maus tratos e madrasta por homicídio qualificado

Pai e madrasta da criança morta em Dourados. Foto: Reprodução Facebook

Foi concluído o inquérito policial que apurou a morte do bebê Rodrigo Moura Santos, 01, ocorrido no dia 16 de agosto, em Dourados. Joel Rodrigo Avalo Santos, 24, pai da criança foi indiciado por maus tratos e a madrasta Jéssica Leite Ribeiro, 21, pelo mesmo crime e também por homicídio qualificado. 

Francis Flávio Tadano Araújo Peres, delegado do 2°DP responsável pelo caso, realizou a conclusão do inquérito nesta quinta-feira (23). 

Jéssica Leite Ribeiro, de 21 anos, madrasta do menino de um ano e seis meses que morreu com sinais de espancamento no dia 16 de agosto em Dourados, confessou ter agredido a vítima. Presa desde o dia da morte, ela foi ouvida formalmente na noite de quarta-feira (22) e disse ter pisoteado o enteado por estar com raiva, mas sem intenção de matar. Além disso, isentou seu marido, Joel Rodrigo Avalo Santos, de 25 anos, pai da criança, de qualquer participação no crime. 

 

Jessica decidiu falar ontem, após uma semana isolada numa cela da Delegacia de Polícia Civil. Chorando, relatou que estava numa situação de muito estresse, por ser nova, com duas crianças que não são filhos dela, e em meio a brigas com o marido, Joel. 

 

Segundo ela, o menino estava chorando, com prisão de ventre, ressecamento, então começou a apertar a barriga dele com a mão e depois pisou na barriga da criança, com força. Disse que não queria matar, mas acabou se excedendo no momento de raiva. Sobre a fratura da costela que provocou perfuração do fígado da vítima, detalhou que a criança estava se virando e ela continuou pisando. 

 

Sobre seu marido, Joel, afirmou que ele não fez nada e está preso injustamente. Acrescentou nunca tê-lo visto batendo ou maltratando as crianças, de quem é pai. Ambos foram presos no dia da morte e autuados em flagrante por maus tratos. 

Conforme informações apuradas pelo Dourados News, a decisão teve como base alguns fatos como o exame de necropsia que confirmou que o corpo do bebê possuía diversas lesões características de maus tratos, tais como hematomas antigos e recentes no couro cabeludo.

Rodrigo sofreu ainda múltiplas fraturas nos arcos costais, ocasionando o dilaceramento do fígado, o que culminou na sua morte por choque hemorrágico. 

No dia do ocorrido, a madrasta alegava que a criança tinha falecido por causas naturais. 

Relembre o caso

Na manhã do dia 16 de agosto o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado para atender um bebê que estaria passando mal, na rua Presidente Kenedy, região da Cabeceira Alegre. 

No local, os socorristas constataram que a criança já estava morta. 

A perícia foi acionada e constatou hematomas nas costas, cabeça e pescoço do bebê.

O menino foi levado ao Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal), onde constatou-se a morte violenta, incluindo a ruptura do fígado dele.

Tanto a madrasta, quanto o pai da criança, acabaram encaminhados à delegacia e permanecem presos.

(informações: Dourados News e 94 fm Dourados)

COMENTE ESTA NOTÍCIA:
» NOTÍCIAS RELACIONADAS
Postada em: 22/10/2018 Pai suspeito de tiro acidental continua foragido e possui mandado em aberto por violência doméstica, diz polícia
Postada em: 22/10/2018 Aposentado é preso suspeito de estuprar enteada desde os 09 anos
Postada em: 22/10/2018 Homem tenta fugir, mas acaba preso com 392 quilos de maconha
Postada em: 22/10/2018 Polícia caça 37 suspeitos de crimes, entre eles ex-jogador de futebol
Untitled Document
Desenvolvimento: Luciano Dutra