SEGUNDA FEIRA, 17 DE DEZEMBRO DE 2018
Untitled Document
22/08/2018 | Fonte: CORREIO DO ESTADO

Casal "ostentação" de Ponta Porã chefiava esquema milionário do tráfico de drogas

Alguns dos objetos de luxo apreendidos com o casal ontem. - Foto: Divulgação

Operação da Polícia Federal desarticulou ontem esquema do tráfico internacional de cocaína operado na fronteira com o Paraguai, por um casal de Ponta Porã. Marido e mulher dispunham de aparato logístico que contava com veículos como carretas e caminhões, além de um entreposto em Dourados, usado para armazenavar carregamentos. A dupla, que desfrutava de vida luxuosa, foi presa em Rondonópolis (MT), após negócios na Bolívia.

De acordo com nota da PF, os presos são donos de mais de 400 quilos de cocaína apreendida, bem como de produtos químicos e maquinários utilizados no refino de entorpecentes, aproximadamente R$ 110 mil em espécie, além de armas de fogo e munições, que estavam com eles em uma mansão, na cidade de Itapetininga (SP), em março de 2017. 

Segundo as investigações, os detidos lideravam um complexo esquema de tráfico internacional na fronteira entre Brasil e Paraguai, sendo que a droga era obtida no território paraguaio e encaminhada, por via terrestre, até o município de Dourados. De lá, seguia em fundos falsos de caminhões até Itapetininga e Americana (SP), de onde era redistribuída.

O casal costumava se exibir em redes sociais portando joias e frequentando restaurantes e hotéis de alto valor. Estima-se que uma festa patrocinada por ambos, realizada no início de 2017, tenha custado mais de R$ 50 mil. Este alto padrão de vida e aparente inexistência de origem lícita de patrimônio chamou a atenção dos policiais que iniciaram investigações.

LAVAGEM DE DINHEIRO

 Além do tráfico, eles lavavam dinheiro com a compra de imóveis de alto padrão, principalmente em Dourados, registrando as propriedades em nome de “laranjas”. Também eram movimentadas quantias significativas em contas bancárias abertas em nome de terceiros. Para dificultar a atuação dos órgãos públicos de segurança, utilizavam documentos falsos e passaram a tentar justificar a origem das riquezas alegando ser empresários do ramo de transportes. 

Recentemente, os investigados passaram a negociar carregamentos de cocaína na cidade de Corumbá, fronteira do Brasil com a Bolívia, sendo que Policiais Federais descobriram que teriam alugado um imóvel em Rondonópolis. Também pretendiam alugar um galpão, onde seria montada uma transportadora. Desta forma, ontem, foi dado cumprimento aos mandados no imóvel onde residiam.

 Foram encontrados jóias e outros itens luxuosos, tais como relógios e óculos, bem como documentos falsos e uma arma calibre 380. Além da prisão em flagrante, os detidos responderão pelos crimes de tráfico internacional de tráfico de drogas, lei de lavagem, uso de documento falso e posse irregular de arma de fogo, cujas somas das penas máximas é de 33 anos de prisão.

 

COMENTE ESTA NOTÍCIA:
» NOTÍCIAS RELACIONADAS
Postada em: 16/12/2018 Na saída de boate, mulher aponta arma na cabeça de vítima e foge após roubar pertences em MS
Postada em: 16/12/2018 Homem é preso sob suspeita de violentar menino de 8 anos
Postada em: 16/12/2018 Testemunhas falam que adolescentes também agrediram menina de 10 anos morta a 'mochiladas' em MS
Postada em: 16/12/2018 Brasileiro chefe do tráfico em favela é preso em operação no Paraguai
Untitled Document
Desenvolvimento: Luciano Dutra