SEGUNDA FEIRA, 10 DE DEZEMBRO DE 2018
Untitled Document
05/07/2018 | Fonte: ASSESSORIA E COMUNICAÇÃO

Efeitos da Diabetes na Saúde Bucal

Foto: Reprodução

 

Os problemas de saúde bucal podem ser mais sérios quando você tem diabetes, o que inclui cárie dentária, doença gengival, infecção e cicatrização tardia, disfunção de glândula salivar, infecções por fungos, comprometimento do paladar e mais.

Ter altos níveis de glicose na sua saliva pode contribuir para a proliferação bacteriana, portanto, certifique-se de escovar os dentes e usar o fio dental regularmente. Uma vez que a placa bacteriana tenha se estruturado nos seus dentes e na linha gengival, ela pode causar inflamação crônica e infecção na sua boca, por isso você precisa de check-ups e controles regulares.

A Consulta ao dentista é fundamental se houver a percepção de que as gengivas sangram facilmente, estão inflamadas, sensíveis ou vermelhas, se estiverem se desinserindo facilmente dos dentes, se houver pus entre os dentes e as gengivas ou se tiver mau hálito persistente ou gosto ruim na boca, se você tiver dentes permanentes com mobilidade ou se estão ficando mal posicionados ou se espaçando, ou se houver uma mudança na sua mordida ou na maneira como os dentes se encaixam.

Pacientes com diabetes também são susceptíveis a infecções fúngicas na boca porque podem ter o fluxo salivar diminuído e níveis elevados de glicose na saliva. Se você fuma, tem níveis altos de glicose no sangue ou toma antibióticos, você está ainda mais propenso às infecções fúngicas. Alerte seu cirurgião-dentista se você tiver manchas vermelhas ou brancas na boca ou língua que estejam sensíveis ou ulceradas. As infecções fúngicas também podem causar uma sensação de queimação na boca ou dificuldade de engolir ou sentir o paladar.

 

. DIABETES X IMPLANTES DENTAIS

Com o  crescimento do interesse da população pelos Implantes Dentários como opção para o tratamento reabilitador, é comum recebermos em nossa clínica pacientes  com a seguinte preocupação : posso colocar implantes sendo diabético?

À medida que a população envelhece, o número de diabéticos aumenta e, por esta razão, o especialista deve estar atento ao fato de que o paciente diabético necessita sim de cuidados especiais durante o tratamento odontológico.

Para as consultas de rotina  ou de cirurgia, o dentista seleciona o tipo de anestésico que este paciente pode usar com segurança, ou o tipo de medicação pré e pós-cirurgia, bem como os cuidados a serem tomados no controle pós-operatório.

 

A Diabetes Mellitus é uma doença em que há insuficiência na ação e/ou na secreção de insulina, hormônio fundamental  para o metabolismo da glicose. Sem insulina ou sem uma ação efetiva deste hormônio ocorre a hiperglicemia, que é um aumento de glicose no sangue circulante. Este fenômeno leva à uma série de complicações para a saúde a curto e longo prazo .

Além das  repercussões  sistêmicas, o paciente diabético não controlado tem maior chances de desenvolver doença periodontal.

Existe uma relação bem estabelecida pela literatura mundial  sobre o comprometimento da osteointegração dos implantes nos pacientes diabéticos. A osteointegração é o processo pelo qual o implante dentário se une de forma estável e funcional com o osso no qual foi inserido cirurgicamente. Este processo é essencial para que, sobre este pino de titânio, possamos colocar uma prótese que irá  estabelecer a função e a estética do elemento perdido.

Em diabéticos não controlados, esta osteointegração pode ser prejudicada,  pois o estado hiperglicêmico leva a prejuízos no processo de cicatrização e remodelação óssea . Além disso, estes pacientes também estarão sujeitos á infecções no pós operatório se não forem adequadamente acompanhados.

 

Por esta razão , o controle da glicemia no diabético é primordial antes, durante e após  a colocação dos implantes.

A maioria dos estudos indicam que os implantes podem ser colocados em pacientes com Diabetes Mellitus desde que a doença esteja controlada. Caso contrário , a cirurgia deve ser adiada até que a glicemia esteja em níveis normais.

Antes de iniciar a terapia com os implantes, os exames de sangue  serão solicitados, a fim de avaliar a glicemia do paciente no período que antecede  a cirurgia. Isso porque, quando os níveis de glicose no sangue estão aceitáveis , ou seja, a diabetes está  controlada, com um planejamento adequado e direcionado para este paciente, a cirurgia poderá sim ser realizada e as chances de sucesso da terapia com implantes  são muito grandes!

 Dr. Giuliano Guilherme de Lima - CRO/MS - 3583

- Cirurgião Dentista

 - Especialista em Implantodontia

- Especialista  em Endodontia

- Especialista em Radiologia

- Pós graduado em Cirurgia

Tel: (67) 3461 3399

www.cliron.com.br

facebook/clinicacliron

 

COMENTE ESTA NOTÍCIA:
» NOTÍCIAS RELACIONADAS
Postada em: 29/11/2018 Você sabe qual paciente não pode fazer implante dentário?
Postada em: 28/11/2018 MS está entre os cinco estados com aumento de mortes por HIV/AIDS
Postada em: 23/11/2018 Hipertensos e diabéticos podem fazer implantes dentários?
Postada em: 01/11/2018 Por que meus dentes permanentes estão ficando moles?
Untitled Document
Desenvolvimento: Luciano Dutra