TERÇA-FEIRA, 18 DE SETEMBRO DE 2018
Untitled Document
05/06/2018 | Fonte: CORREIO DO ESTADO

Ex-prefeito da Capital é condenado por espionar Tribunal de Justiça e ministério

Ele está inelegível por 4 anos e deve pagar multa de R$ 100 mil
Gilmar Olarte foi prefeito de Campo Grande entre 2014 e 2015, após a cassação de Alcides Bernal - Foto: Arquivo / Correio do Estado

O ex-prefeito de Campo Grande Gilmar Olarte foi condenado pelo juiz David de Oliveira Gomes Filho, da 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos, pela prática de ato de improbidade administrativa em razão de espionagem no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS) e por ter descoberto com antecedência a Operação Coffee Break, desencadeada pelo Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

Olarte foi condenado a perda de função pública (que eventualmente esteja exercendo quando do trânsito em julgado da sentença), suspensão dos direitos políticos por quatro anos a contar da sentença e pagamento de multa de R$ 100 mil.

No processo, consta que Olarte mantinha contato com o oficial de Justiça Mauro Lino Alves Pena e que o ex-prefeito encomendou a espionagem no TJ. Pena tinha acesso fácil ao tribunal e com isso teria facilidade em saber a respeito do que estava para acontecer contra Olarte. O oficial de Justiça foi absolvido do processo por falta de provas

COMENTE ESTA NOTÍCIA:
» NOTÍCIAS RELACIONADAS
Postada em: 14/09/2018 Após cotação recorde na véspera, dólar opera em queda
Postada em: 14/09/2018 Estado consolida vocação agro e produz 40,5% mais
Postada em: 13/09/2018 Moagem de cana no Centro-Sul se recupera e impulsiona açúcar, apesar de foco em etanol
Postada em: 11/09/2018 Morador de Sidrolândia acerta 15 números e ganha R$ 1,5 milhão na Lotofácil
Untitled Document
Desenvolvimento: Luciano Dutra