DOMINGO, 22 DE JULHO DE 2018
Untitled Document
12/05/2018 | Fonte: G1

OMS emite alerta de sarampo nas Américas e recomenda reforço em vacinação

Foto:Reprodução

A Organização Mundial de Saúde emitiu um alerta sobre o sarampo nas Américas e exortou países a reforçarem a vacinação nesta quinta-feira (10) . Ao todo, 1115 casos na região foram registrados até o final de abril de 2018. O número já é superior ao registrado em todo o ano de 2017 (895).

A Venezuela responde por 904 infecções; Brasil aparece em segundo lugar (104); seguido dos Estados Unidos (63). Outros países com casos são: Antígua e Barbuda (1 caso), Argentina (3), Canadá (9) Colômbia (21), Equador (3), Guatemala (1), México (4) e Peru (2).

Em 2016, as Américas se tornaram a primeira região do mundo a eliminar o vírus do território. Campanhas intensas ocorreram por décadas na região. Na ocasião, o Brasil recebeu certificado de eliminação da doença.

Situação do Brasil e Europa

A maior parte dos casos brasileiros está sendo registrada em Roraima (81 casos confirmados; entre eles, 55 venezuelanos, 24 brasileiros, um guianense e um argentino). Há também infecções no Amazonas (todos brasileiros). A OMS também confirmou um caso no Rio Grande do Sul -- de brasileira que havia visitado vários países na Europa.

No Brasil, o Ministério da Saúde nesse momento coordena campanhas de vacinação em regiões de maior risco em coordenação com governos estaduais. A campanha é apenas uma intensificação do alerta de vacinação nessas regiões -- já que a vacina está disponível em todo o país o ano inteiro.

Há a possibilidade que muitos casos brasileiros tenha sido importados da Europa e da Venezuela. A Europa conta com um aumento exponencial de casos de sarampo, informou a OMS em outro alerta. Na região, a doença contou com um aumento de 400% de 206 para 2017, deixando 35 mortos e afetando 21.315 pessoas.

"Mais de 20.000 casos de sarampo e 35 vidas perdidas em 2017 são uma tragédia que simplesmente não podemos aceitar ", diz Zsuzsanna Jakab, diretor regional da OMS para a Europa, em nota na ocasião.

Movimentos antivacina, principalmente na Europa, e afrouxamento em campanhas de vacinação em todo o mundo têm sido apontadas como responsáveis pelo aumento repentino do número de casos de sarampo.

COMENTE ESTA NOTÍCIA:
» NOTÍCIAS RELACIONADAS
Postada em: 21/07/2018 Obesidade atrapalha saúde e também colocação no mercado de trabalho
Postada em: 20/07/2018 Previsão para o final de semana é de frio e melhora na umidade do ar em MS
Postada em: 20/07/2018 Vândalos desligam padrão de energia e todas as doses de vacina de unidade de saúde são perdidas em MS
Postada em: 20/07/2018 Campanha de vacinação contra a poliomielite e sarampo começa dia 6 de agosto
Untitled Document
Desenvolvimento: Luciano Dutra