TERÇA-FEIRA, 17 DE JULHO DE 2018
Untitled Document
08/05/2018 | Fonte: CAMPO GRANDE NEWS

Regiões no MS sem chuva há 50 dias pode ter perda no milho chega a 30%

Lavoura de milho no município de Dourados; folhas estão verdes, mas falta chuva para formação de grãos (Foto: Helio de Freitas)

Empolgados com as condições climáticas favoráveis no começo do plantio, os agricultores de Mato Grosso do Sul acreditaram que neste ano teriam uma produção recorde de milho safrinha, mas falta chuva no momento mais crucial, de floração e granação das espigas.

De acordo com o presidente da Aprosoja, Juliano Schmaedecke, a estiagem castiga as lavouras de milho de Bandeirantes até Mundo Novo, no extremo-sul de Mato Grosso do Sul.

Segundo o representante dos agricultores, ainda não é possível afirmar de quando serão as perdas em todo o estado, mas a estimativa de um prejuízo médio de 30%.

As regiões de Dourados, sul de MS e fronteira com o Paraguai estão há mais tempo sem chuva. Conforme o Guia Clima da Embrapa Agropecuária Oeste, em Dourados teve uma pequena chuva de 2,8 milímetros no dia 21 de abril, mas de forma isolada e em boa parte do município não houve chuva no mês passado.

Juliano afirma que a maior estiagem ocorre na região da Água Fria, no município de Maracaju, onde não chove há pelo menos 50 dias, mas a secura afeta lavoura de milho em Sidrolândia, Amambai, Naviraí, Aral Moreira e Ponta Porã.

“O produtor precisa ter cautela neste momento. É certo que haverá perdas porque falta chuva no momento da floração e da granação. A esperança é que volte a chover nos próximos dias para amenizar o prejuízo”, afirmou.

COMENTE ESTA NOTÍCIA:
» NOTÍCIAS RELACIONADAS
Postada em: 06/06/2018 STJ autoriza recolhimento da carteira de motorista para pressionar réu inadimplente a regularizar débitos
Postada em: 06/06/2018 Passa de 190 o número de desaparecidos por causa do Vulcão de Fogo, na Guatemala
Postada em: 06/06/2018 Governo reduz previsão e passa a estimar salário mínimo abaixo de R$ 1 mil em 2019
Postada em: 06/06/2018 Frio deve atrasar início da colheita do algodão na região norte de MS
Untitled Document
Desenvolvimento: Luciano Dutra