QUARTA-FEIRA, 19 DE DEZEMBRO DE 2018
Untitled Document
06/03/2018 | Fonte: CAMPO GRANDE NEWS

Pesquisa prevê queda de R$ 10 milhões nas vendas de ovos de chocolate

Movimentação estimada, a partir da consulta aos consumidores, é de R$ 61 milhões, contra R$ 71 milhões em 2017
Crianças estão na liderança da preferência entre os que serão presenteados com ovos de chocolate (Foto: Anahi Gurgel)

Uma Páscoa menos calórica – assim será a data neste ano se depender da intenção de consumo dos sul-mato-grossenses. Em tempos de contenção de gastos, as compras de ovos de chocolate e outras guloseimas da data serão menores. Levantamento do IPF (Instituto de Pesquisa Fecomércio), divulgado nesta terça-feira (6), mostra o tamanho dessa possível redução: R$ 10,27 milhões.

De acordo com a pesquisa, 55,4% dos consumidores pretendem comprar chocolate e outros alimentos da Páscoa, desembolsando o total de R$ 61,54 milhões. No ano anterior, a parcela era de 78,54%, com compras equivalentes a R$ 71,81 milhões. Em números relativos, a retração dos gastos estimados é de 14,30%.

Mas não só de chocolate vive a Páscoa. Os consumidores também têm despesas com comemorações, como o churrasco com a família. Esses tipos de desembolsos podem somar R$ 53,04 milhões. No total, entre ovos de chocolate, outras iguarias e comemorações, os gastos podem chegar a R$ 114,59 milhões.

Em se tratando de compras de doces da época, o ovo de Páscoa (61,38% das intenções) lidera, com folga, a preferência dos sul-mato-grossenses. Na sequência, estão caixa de bombons (22,70%), barra de chocolate (6,92%), ovo caseiro (6,09%) e cesta café da manhã ou de chocolate (1,52%). 

Para quem – Com o romantismo já desgastado, os casados não estão muito a fim de agradar o esposo ou a esposa com chocolate. Só 1,70% têm essa intenção. Parcela abaixo de muitas outras, como a de pai (3,83%), afilhados (4%), irmãos (4,21%), netos (8,7%), sobrinhos (8,87%), mãe (9,63%).

No entanto, casais de namorados continuam românticos. Dos entrevistados, 14,34% disseram que pretendem comprar ovos de chocolate ou outra guloseima para seu namorado ou sua namorada. Esse percentual só é menor que a intenção de presentear os filhos (32,07%).

Onde – Quanto aos locais, supermercados lideram com 50,38% das preferências. As lojas do centro (38,47%) e as do bairro (3,41%) aparecem em seguida. Há ainda os que pretendem atravessar a fronteira para comprar chocolate: 2,7% disseram que vão adquirir os ovos de chocolate no Paraguai.

De que forma – A maior parte dos consumidores está cautelosa e não quer fazer dívidas. São 81,58% os que planejam comprar com dinheiro. Na sequência, estão a aquisição a crédito (9,01%) e de débito (5,58%).

A pesquisa também verificou quais são os produtos mais consumidos na Semana Santa e Páscoa. O peixe (35,21%) está no topo do ranking, superando, na ordem, carne para churrasco (13,06%), refrigerante (9,28%), cerveja (9,20%). Em seguida, indicando que o sul-mato-grossense, também se preocupa com alimentação saudável, aparece verduras, com 5,43%.

Comemorações – Em se tratando de comemorações, os gastos devem somar R$ 53,04 milhões, diminuição de 31,44%. De acordo com o IPF, a queda é “motivada, principalmente, pela redução de pessoas que gastarão no período”.

Caso a parcela de pessoas que pretendem consumir na data não caísse, haveria aumento total dos valores das compras. Isso devido a outra variável: o de quanto cada consumidor planeja desembolsar. O gasto médio, neste ano, é de R$ 85,60%, montante 8,98% superior aos R$ 78,54 de 2016.

A maioria acredita que vá comemorar o domingo de Páscoa em casa (41,82%). Na sequência, estão os gastos com alimentação em casa de outros familiares (27,8%) e despesas com bebidas (24,9%).

COMENTE ESTA NOTÍCIA:
» NOTÍCIAS RELACIONADAS
Postada em: 18/12/2018 Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 48 milhões
Postada em: 17/12/2018 Soja avança sobre cana e pastagens em MS
Postada em: 17/12/2018 Nasa divulga imagens inéditas do 46P/Wirtanen, o 'cometa do Natal'
Postada em: 16/12/2018 Papa Francisco defende Pacto Mundial para a Migração
Untitled Document
Desenvolvimento: Luciano Dutra