SEGUNDA FEIRA, 22 DE JANEIRO DE 2018
Untitled Document
24/11/2017 | Fonte: CAMPO GRANDE NEWS

Mara Caseiro e João Grandão são condenados na 'Máfia dos Sanguessugas'

Mara e João Grandão foram condenados por atos praticados quando ela era prefeita e ele, deputado federal (Foto: Arquivo)

A Justiça Federal de Naviraí suspendeu os direitos políticos e condenou à devolução de valores aos cofres públicos os deputados estaduais João Grandão (PT) e Mara Caseiro (PSDB), em ação relativa a Máfia das Ambulâncias. Outras sete pessoas também foram condenadas.

Os nove condenados também devem ter direitos politícos suspensos e, três deles, terão que deixar o cargo público ocupado, conforme a decisão - que ainda tramita em primeira instância e é passível de recurso.

Além Mara e Grandão, são citados Ignávio Carlos Pinto, Carlos Alberto Gomes Guirelli, Eliane Cláudia da Silva Rolin, Paulo Lotário Junges, Darci José Vedoin, Cléia Maria Trevisan Vedoin e Luiz Antônio Trevisan Vedoin.

Outra denunciada, Maria Estela da Silva, foi inocentada por, segundo o magistrado, não haver provas de ter cometidos ilícitos. A Máfia das Ambulâncias, que também ficou conhecida como Máfia das Sanguessugas, e foi descoberta em 2006.

De acordo com a denúncia feita pelo MPF (Ministério Público Federal), os denunciados faziam parte de esquema fraudulento para aquisição de ambulâncias e veículos de transporte escolar, entre outros, com recursos do Fundo Nacional de Saúde.

Condenação - Mara, João, Ignávio, Carlos, Eliane, Paulo, Darci, Cléia e Luiz foram condenados a devolver aos cofres públicos o valor de R$ 5.768,06 - quantia ainda sem correção monetária.

Além disso, eles terão que pagar em multa metade do valor definido para devolução. Já Grandão teria ainda que devolver R$ 5,6 mil, relativo à 10% da emenda destinada e alvo de desvio. Ele também terá que pagar outra multa, de R$ 11,2 mil.

Ingávio, Carlos e Cláudia foram condenados a perda de função pública, além de perderem direitos políticos por cinco anos. Paulo perdeu os direitos por seis anos e, enquanto Darci, Cléia e Luiz, por sete.

Grandão, que na época do fato era deputado federal e teria recebido "comissão" por destinar a verba, foi condenado a perda dos direitos políticos por nove anos. Ele já havia sido condenado no caso em 2015.

Já Mara, que era prefeita de Eldorado - cidade localizada a 447 km de Campo Grande - na época do fato pelo qual foi denunciada, foi condenada a perder os direitos políticos por sete anos.

A reportagem procurou os deputados envolvidos no caso, e conseguiu contato apenas com João Grandão. O parlamentar afirmou que não foi comunicado oficialmente sobre a condenação. "Estamos fazendo recurso e vamos protocolar em cima da convicção de que não existe nada de errado. É decisão de primeira instância e vamos recorrer".

COMENTE ESTA NOTÍCIA:
» NOTÍCIAS RELACIONADAS
Postada em: 11/01/2018 Membros da CEI analisam documentos da Saúde
Postada em: 05/01/2018 Bactérias do intestino do Aedes aegypti podem ajudar a combater a dengue
Postada em: 21/12/2017 Deputado Elizeu Dionizio destina 600 mil reais de emenda para o Hospital Municipal
Postada em: 15/12/2017 Temer sanciona lei sobre campanha nacional contra doenças sexuais
Untitled Document
Desenvolvimento: Luciano Dutra