QUARTA-FEIRA, 18 DE JULHO DE 2018
Untitled Document
14/11/2017 | Fonte: EBC/DA

Autoridades islâmicas querem garantias do Brasil sobre abate de animais

Que determina o método de sacrifício dos animais

Em busca da garantias sobre o abate do gado e dos frangos no Brasil, uma comissão de autoridades islâmicas visitou nesta segunda feira (13) o ministro interino da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Eumar Novacki. Liderados pelo vice-presidente do Centro de Divulgação do Islam para a America Latina, Ali Ahmad Saifi, os muçulmanos pediram a Novacki uma garantia oficial de que o gado e o frango exportados para seus países são abatidos dentro dos preceitos do Halal, a lei islâmica que determina o método de sacrifício dos animais.

Segundo o diretor de Promoção Comercial do Ministério da Agricultura, Evaldo Da Silva Junior, a preocupação das autoridades islâmicas é a de que nem todas as empresas privadas estejam cumprindo o Halal com o necessário rigor.

"O governo brasileiro tem já um estudo pronto, feito pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuaria (Embrapa) e a Universidade de São Paulo (USP), que dá essa garantia e detalha os processos de abate de animais exportados para os países muçulmanos. E é isso que eles querem", disse Da Silva, O documento, agora, será encaminhado para a autoridade máxima do Islam.

De acordo com Da Silva, a medida contribuirá para ampliar o mercado para as carnes brasileiras. "No momento em que esse estudo da Embrapa e do Ministério da Agricultura e Pecuária for reconhecido como garantia de que os preceitos Hala estão sendo cumpridos no Brasil, vai gerar um aumento extraordinário das vendas para mais de 50 países muçulmanos", afirmou.

COMENTE ESTA NOTÍCIA:
» NOTÍCIAS RELACIONADAS
Postada em: 06/06/2018 STJ autoriza recolhimento da carteira de motorista para pressionar réu inadimplente a regularizar débitos
Postada em: 06/06/2018 Passa de 190 o número de desaparecidos por causa do Vulcão de Fogo, na Guatemala
Postada em: 06/06/2018 Governo reduz previsão e passa a estimar salário mínimo abaixo de R$ 1 mil em 2019
Postada em: 06/06/2018 Frio deve atrasar início da colheita do algodão na região norte de MS
Untitled Document
Desenvolvimento: Luciano Dutra