QUINTA-FEIRA, 19 DE JULHO DE 2018
Untitled Document
16/08/2017 | Fonte: MIDIAMAX

Coreia do Norte deve produzir motores de mísseis sem importações, dizem EUA

Rebate um novo estudo do Instituto Internacional
Foto: Divulgação

A Coreia do Norte provavelmente tem a habilidade de produzir seus próprios motores de mísseis, e inteligência sugere que o país não precisa depender de importações, disseram nesta terça-feira autoridades da inteligência dos Estados Unido.

A avaliação rebate um novo estudo do Instituto Internacional para Estudos Estratégicos, sediado em Londres, que dizia que os motores para um míssil que a Coreia do Norte está desenvolvendo para atingir os EUA provavelmente foram feitos em fábricas na Ucrânia ou Rússia e provavelmente obtidos através de redes no mercado negro.

O New York Times citou o estudo na segunda-feira. A reportagem do jornal dizia que avaliações confidenciais de agências da inteligência dos EUA refletiam a descoberta do instituto.

"Nós temos inteligência para sugerir que a Coreia do Norte não é dependente de importações de motores", disse uma das autoridades da inteligência norte-americana à Reuters. "Ao invés disto, nós julgamos que eles têm a habilidade de produzir motores".

As autoridades norte-americanas não divulgaram quaisquer detalhes sobre o que sustentava a avaliação sobre os motores de alta performance abastecidos a líquido, chamados RD-250.

A Ucrânia negou já ter fornecido tecnologia de defesa para a Coreia do Norte. A fábrica ucraniana citada no New York Times, a estatal Yuzhmash, disse não ter produzido mísseis balísticos de nível militar desde a independência da União Soviética em 1991.

COMENTE ESTA NOTÍCIA:
» NOTÍCIAS RELACIONADAS
Postada em: 06/06/2018 STJ autoriza recolhimento da carteira de motorista para pressionar réu inadimplente a regularizar débitos
Postada em: 06/06/2018 Passa de 190 o número de desaparecidos por causa do Vulcão de Fogo, na Guatemala
Postada em: 06/06/2018 Governo reduz previsão e passa a estimar salário mínimo abaixo de R$ 1 mil em 2019
Postada em: 06/06/2018 Frio deve atrasar início da colheita do algodão na região norte de MS
Untitled Document
Desenvolvimento: Luciano Dutra