TERÇA-FEIRA, 19 DE SETEMBRO DE 2017
Untitled Document
13/05/2017 | Fonte: G1

Suzane deixa prisão com namorado para 'saidinha' do Dia das Mães

Suzane deixa prisão para benefício concedido pelo Dia das Mães; ele foi condenada por matar os pais - Foto: Camilla Motta/G1

A detenta Suzane von Richthofen, condenada a 39 anos de prisão pela morte dos pais, deixou na manhã desta sexta-feira (12) a Penitenciária Feminina Santa Maria Eufrásia Pelletier, em Tremembé, para a saída temporária dos Dia das Mães.

A saída é um benefício concedido aos presos do regime semiaberto que tem bom comportamento. Suzane deixou a prisão por volta de 8h e deverá retornar ao local na próxima quarta-feira (17). A reportagem apurou que ela ficará em um endereço na cidade de Angatuba (SP), onde mora o namorado e familiares dele.

Na saída da penitenciária, ela foi buscada pelo namorado. O carro, de Angatuba, parou em frente a guarita da cadeia, por onde ela saiu. Ao passar pela porta, ela encontrou com o namorado e o cumprimentou com um beijo.

Eles entraram no carro, onde permaneceram por cerca de 10 minutos antes de deixar o local. Eles não falaram com a reportagem.

BENEFÍCIO

Suzane tem direito a saída temporária porque é detenta do regime semiaberto e apresenta bom comportamento na penitenciária. As presas nesse sistema trabalham durante o dia, dormem na prisão e têm cinco saídas temporárias no ano, sendo Dia das Mães, Páscoa, Dia dos Pais, Dia das Crianças, Natal e Ano Novo.

No momento em que saía da penitenciária nesta sexta, outras detentas também deixavam o presídio para a saída temporária. Na região do Vale do Paraíba, onde ela está presa, 3,7 mil detentos têm direito às saídas - eles começaram a deixar as presídios na quinta-feira (11).

Suzane von Richthofen obteve a progressão do regime fechado para o semiaberto em outubro de 2015. A primeira saída dela aconteceu em março de 2016, beneficiada pela saída temporária de Páscoa.

No ano passado, ela também teve direito de deixar a cadeia para a saída do Dia das Mães.

Suzane e os irmãos Daniel e Cristian Cravinhos de Paula e Silva foram condenados em 2006 pela morte dos pais dela, o engenheiro Manfred e a psiquiatra Marísia, pais de Suzane, em 2002.

COMENTE ESTA NOTÍCIA:
» NOTÍCIAS RELACIONADAS
Postada em: 19/09/2017 Rezende fez pedido a Record antes de sua morte e emissora cumpriu
Postada em: 19/09/2017 Naviraí terá Peça teatral na Praça Central neste domingo
Postada em: 19/09/2017 Justiça do DF permite tratar homossexualidade como doença
Postada em: 19/09/2017 Projeção do plantio da soja é de produtividade de 8,3 milhões de toneladas
Untitled Document
Desenvolvimento: Luciano Dutra