SEXTA-FEIRA, 24 DE NOVEMBRO DE 2017
Untitled Document
21/04/2017 | Fonte: MIDIAMAX

Secretaria de educação vai orientar escolas sobre como enfrentar 'desafio da baleia azul’

Após uma suposta mensagem de uma pessoa que estaria participando do ‘desafio da baleia azul’ – espécie de jogo virtual com desafios que tem levado adolescentes ao suicídio -, alarmar 3 escolas em Ponta Porã, a 346 km da Capital, a SED (Secretaria Estadual de Educação) irá enviar uma carta com orientações para as 368 escolas estaduais de Mato Grosso do Sul. A informação é da secretária, Maria Cecília Amendola da Motta.

São mais de 258 mil alunos que serão contemplados pelas orientações. Conforme explicou a assessoria de imprensa, o documento terá bases pedagógicas e informativas, com foco na ‘aquisição de valores’. Isso porque o jogo vai justamente no caminho oposto, o da baixa alto estima.

Outra questão será orientações para que diretores e professores promovam debates sobre prevenção ao suicídio. O parâmetro para as discussões terá como base um projeto que já é implementado em escolas integrais de Mato Grosso do Sul, que busca humanizar os alunos e a educação, para além do pragmatismo de uma carreira após a escola.

Entenda

Na manhã desta quarta-feira (19), diretores de três colégios em Ponta Porã procuraram a polícia após uma mensagem com ameaça de envenenamento de alunos chegou para uma professora. Na mensagem, um suposto morador em Ponta Porã diz que isso faz parte de um dos desafios do ‘Baleia Azul’.

Conforme as informações registradas pelos responsáveis pelas escolas, no início da manhã chegou ao conhecimento de pessoas ligadas ao colégio a seguinte mensagem

“Oi me chamo Lucas estou no desafio da Baleia Azul moro na cidade de Ponta Porã MS estou no décimo desafio que é dar balas envenenadas para 30 crianças de 3 escolas diferentes como já conhece bem a cidade escolhi o – os nomes dos colégios serão preservados - pois tem mais crianças pequenas. Peço desculpas às mães mas tenho que cumprir ou eles vêm atrás de mim sinto muito pelos filhos de vocês ** desafio aceito”.

Os responsáveis pelas escolas procuraram a 1ª Delegacia da cidade e solicitaram investigação do caso e do teor das mensagens. Uma professora recebeu a mensagem e imagens capturadas da tela do celular com o texto foram encaminhadas para a polícia.

O caso é tratado como ameaça e também envenenamento de água potável ou de substância alimentícia ou medicinal, na forma tentada.

‘Baleia Azul’

Apontado como um jogo que teve origem na Rússia, o ‘Baleia Azul’ tem um curador ou moderador que distribui os desafios a partir de um grupo secreto onde os contatos são iniciados pelo Facebook. Entre os desafios estão provas mórbidas que de certa forma preparam os participantes para o suicídio.

São desafios típicos, por exemplo: escrever frases e fazer desenhos com lâminas na palma da mão e nos braços, assistir a filmes de terror de madrugada, subir no alto de um telhado ou edifício, escutar músicas depressivas, mutilar partes do corpo - como os lábios -, ficar doente, ir a uma estrada de ferro de madrugada, receber e aceitar uma data para a sua morte e cumprir essa missão.

Na última semana, a morte de Gabriel Antônio dos Santos Cabral, de 19 anos, passou a ser investigada após a família descobrir que ele jogava o ‘Baleia Azul’. O caso aconteceu em Pará de Minas, Gabriel tinha mulher e uma filha de apenas 40 dias e segundo sua mãe, Maria de Fátima Santos, de 37, vinha tentando deixar esse grupo, mas sofria uma pressão muito grande.

O corpo dele foi encontrado pela mulher sobre a cama do casal. A Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros foram acionados e os socorristas encontraram cinco cartelas vazias de um antidepressivo. Estima-se que o rapaz tenha ingerido dezenas desses comprimidos na noite anterior.

COMENTE ESTA NOTÍCIA:
» NOTÍCIAS RELACIONADAS
Postada em: 24/11/2017 Naviraí - Núcleo de transito realiza blitz educativa
Postada em: 24/11/2017 Sem salário, terceirizado do Detran vende até o celular para se manter
Postada em: 24/11/2017 Empresa de telefonia móvel recebe multa milionária por falhas nos serviços
Postada em: 24/11/2017 Diarista é demitida por ter usado banheiro da casa da patroa
Untitled Document
Desenvolvimento: Luciano Dutra