SEXTA-FEIRA, 24 DE NOVEMBRO DE 2017
Untitled Document
20/04/2017 | Fonte: CORREIO DO ESTADO

'República de MS' em Campinas apontada na delação da Odebrecht

Aurélio Cance teria recebido propina em dinheiro vivo para ajudar empreiteira
Aurélio Cance sendo conduzido em operação policial - Foto: Divulgação

Integrante da chamada “República de Mato Grosso do Sul”, o ex-diretor da Sanesul e da Sanasa (Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A), Aurélio Cance Júnior, que ficou conhecido por participar no maior escândalo de corrupção da Prefeitura de Campinas (SP), agora aparece entre os citados nos depoimentos de executivos da Odebrecht, prestados à força-tarefa da Operação Lava Jato.

Ele estaria entre os beneficiados na distribuição de R$ 4 milhões em propina no processo de licitação das obras da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Capivari 2, inaugurada na cidade paulista em 2012, com custo inicial de R$ 150 milhões. 

De acordo com depoimentos prestados pelos executivos responsáveis por negócios da empreiteira na região, Carlos Armando Guedes Paschoal e Emyr Diniz Costa Júnior, houve fraude na confecção da licitação da obra, para eliminar possíveis concorrentes.

Além de Cance, foram beneficiados com o acordo em troca de propina a ex-primeira dama Rosely Nassim Santos e o chefe de gabinete no governo de Dr. Hélio (PDT).

COMENTE ESTA NOTÍCIA:
» NOTÍCIAS RELACIONADAS
Postada em: 22/11/2017 Moro diz que Rio é 'exemplo mais visível' de corrupção sistêmica no País
Postada em: 22/11/2017 AL/MS aprova projeto de Onevan que institui prêmio e cria “Semana do Professor”
Postada em: 20/11/2017 Se não houver fraude, estarei no 2° turno, diz Bolsonaro
Postada em: 20/11/2017 Com elogios à Lava Jato, Alvaro Dias lança pré-candidatura à Presidência
Untitled Document
Desenvolvimento: Luciano Dutra