QUINTA-FEIRA, 27 DE JULHO DE 2017
Untitled Document
12/11/2016 | Fonte: G1

MPF denuncia 5 fazendeiros e dois índios por conflitos no campo em MS

Confrontos ocorreram em junho de 2016, na fazenda Yvu, em Caarapó.
Indígenas mostram ferimentos causados durante confronto em Caarapó (Foto: Diogo Nolasco/TV Morena)

O Ministério Público Federal denunciou cinco produtores rurais e dois indígenas por suposto envolvimento no conflito na fazenda Yvu, em Caarapó, no sudoeste de Mato Grosso do Sul, em junho de 2016. Os fazendeiros ficaram presos preventivamente até a semana passada.

Os produtores rurais foram denunciados por formação de milícia armada, homicídio, tentativa de homicídio, lesão corporal, dano qualificado e constrangimento ilegal.

Segundo MPF, os suspeitos organizaram e promoveram o ataque à comunidade indígena. Na época, um indígena morreu e outros seis ficaram feridos no ataque. Eles podem pegar até 56 anos de prisão e ter que pagar reparação por danos morais.

Um dos indígenas foi denunciado por cárcere privado, roubo, sequestro, dano qualificado e corrupção de menores. O mandado de prisão dele já foi expedido, mas ainda não foi cumprido. O outro índio aparece em vídeos atirando com uma arma artesanal.

Conflito
O Ministério da Justiça e Cidadania autorizou, nesta quarta-feira (15), o envio da Força Nacional para a região de conflito entre indígenas e fazendeiros em Caarapó. O confronto teve um índio morto, seis feridos e três policiais militares também machucados.

Segundo o prefeito de Caarapó, Mário Valério (PR), 50 homens da Força Nacional e 30 da Polícia Federal (PF) de Brasília serão enviados ao município. O ministério não confirmou quantos homens vão para a região.

COMENTE ESTA NOTÍCIA:
» NOTÍCIAS RELACIONADAS
Postada em: 27/07/2017 PRF apreende carreta com 7,5 t de maconha em meio a carga de soja
Postada em: 27/07/2017 Criança quase é atropelada e pai tenta matar condutor de carro a facadas
Postada em: 27/07/2017 Mundo Novo - Homem preso por ameaçar mulher com machado
Postada em: 27/07/2017 Musicista foi morta a marteladas em motel antes de ter corpo queimado, diz polícia
Untitled Document
Desenvolvimento: Luciano Dutra